Buggy elétrico amplia uso de tecnologia brasileira

Buggy elétrico amplia uso de tecnologia brasileira, com 99% das peças e equipamentos fabricados no Brasil pela startup eiON e FuelTech.

O primeiro buggy 100% elétrico do mundo em breve será fabricado com tecnologia totalmente brasileira, sendo o veículo elétrico em produção no Brasil com o maior índice de nacionalização de peças – apenas as células de íons de Lítio da bateria ainda não são nacionais.

Isso foi possível com a parceria entre a startup paranaense eiON com a gaúcha FuelTech, referência em tecnologia no controle de motores veiculares – o que trouxe esta tecnologia inovadora o buggy elétrico.

Buggy Power (elétrico) da eiON

Gerenciamento Eletrônico Completo

A FuelTech atua no segmento de tecnologia de desempenho de veículos à combustão e tem pivoteado para a eletrificação, desta forma, adquiriu a Energy Systems – especialista em converter carros com motores tradicionais em elétricos.

Investimos em pesquisa, desenvolvimento e inovação para eletrificação veicular. Temos importantes parceiros – como a catarinense WEG – e essa ação conjunta com a eiON traz aumento do capital intelectual e ganhos de escala na padronização dos equipamentos elétricos. Isso melhora e complementa nossas áreas de atuação, gera mais sinergia e vantagens competitivas às duas empresas.

Anderson Dick, CEO da FuelTech

Reconhecimento

Já a startup eiON ficou em 3º lugar no 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo, que buscou soluções para a retomada do turismo brasileiro por meio de projetos de base tecnológica com mais de 790 projetos.

O destaque muito se deu pela natureza inovadora, equipe de empreendedores, potencial de escalabilidade, relevância para o setor, viabilidade, sustentabilidade e contribuição ao setor do turismo de uma forma sustentável.

Sustentável e Completo

O buggy elétrico tem diferentes tecnologias embarcadas e não emite gases poluentes, não tem ruídos, roda mais de 100km com menos de R$9, sendo 70% mais econômico do que veículos à combustão.

Até a versão mais econômica do buggy elétrico tem freios à disco nas quatro rodas, acelerador eletrônico, controle eletrônico de tração, sistema de frenagem regenerativa, bancos anatômicos e equipamento de segurança Santo Antônio inserido na carroceria.

Os modelos mais exclusivos do buggy elétrico também contam com funções de conectividade por smartphone para compartilhamento e monitoramento remoto de última geração. Eles também podem ser fornecidos em conjunto com garagens solares e estações de recarga, num modelo de negócio que pode até mesmo gerar receitas financeiras para seus proprietários.

Milton Francisco dos Santos Junior, Idealizador da eiON

Já em relação à manutenção o cenário é ainda melhor, pois este modelo compartilha peças mecânicas dos buggys tradicionais e o powertrain – motor elétrico e inversor fornecidos pela WEG – tem suporte e raramente precisa de manutenção.

A comercialização do buggy elétrico – Buggy Power – deve começar em breve, com valores a partir de R$119 mil e tem como público alvo resorts e locais voltados ao ecoturismo, mas também pode ser utilizado na área urbana, zona rural e no litoral.