Fish & Chips ganha espaço na mesa do brasileiro

Sirène Fish & Chips populariza prato feito de peixe – com opção vegana/vegetariana – e batatas e se torna opção de confort food para os brasileiros.

Culinária britânica, o fish & chips vem conquistando cada vez mais o paladar do brasileiro, sendo feito com batatas fritas em estilo rústico e um peixe frito empanado. Perfeito para acompanhar uma cerveja ou chá gelado.

A história da criação do prato é tão controversa quanto a origem das partes que o compõem, por exemplo, a batata frita foi inventada na Bélgica, mas os franceses também reivindicam sua autoria. Já o peixe seria inventado pelos povos judeus nas regiões de Portugal e Espanha.

No Brasil ainda esta ganhando seu destaque, mas temos uma das maiores redes de fish & chips da América Latina: o Sirène Fish & Chips – o que ajuda a popularizar o prato entre nós.

É um preparo que vale por uma refeição, que pode ser apreciado com muita praticidade, até mesmo, na rua. Acredito que essa facilidade vai transformar, em pouco tempo, o fish & chips em um preparo extremamente difundido entre os jovens e, logicamente, entre as pessoas que querem se alimentar com qualidade.

Afonso Natal Neto, Sócio do Sirène

A rede Sirène Fish & Chips já está em Curitiba (PR), Balneário Camboriú (SC), Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP) e ainda com em expansão para as regiões sul e sudeste do país nos próximos meses.

O destaque do restaurante vai para o custo-benefício, o fish & chips servido em um cone (pequeno ou grande) com peixe frito empanado e batatas fritas sai a partir de R$15, além de diversos molhos especiais, entre eles tártaro, mostarda e mel, picante e maionese da casa.

Uma das novidades é o “Fakie Fish”, uma opção para os clientes que reduziram ou não consomem proteína animal. Feito à base de soja não transgênica, o preparo utiliza técnicas chinesas aprimoradas através de séculos.

É a nossa manobra para a galera que não curte muito carne voltar a se sentir em casa no Sirène. Estamos confiantes, pois além de resgatar clientes antigos que deixaram de frequentar o Sirène por falta de opção vegana/vegetariana, também poderemos atender outros tipos de público que talvez nunca chegassem a conhecer nosso empreendimento.

Alexandre Lopes, Sócio Fundador do Sirène